terça-feira, 25 de julho de 2017

Estante de Serviço #9


Ler O Jardim Secreto serve para nos lembrar de forma delicada que muitas das nossas queixas de saúde são, na verdade, fictícias.
O jovem Collin, confinado ao seu quarto desde que nasceu, está convencido de que tem um alto nas costas que se vai transformar numa corcunda e levá-lo a uma morte prematura. Evidentemente não existe alto nenhum, a não ser as suas vértebras. Os seus cuidadores fizeram-no acreditar que é uma criança deformada, condenada a nunca chegar à idade adulta e que o ar fresco é venenoso para o seu sangue. Mary, a sua prima mimada, tão capaz de fazer birras e de dar ordens a toda a gente como ele, não consente nada disto. Sendo a única pessoa com coragem suficiente para dizer a Collin que não tem nada de mal, consegue enfrentar a raiva que ele tem pelo seu presumível destino usando a sua própria fúria perante tanta inércia. Só uma rapariguinha valente e obstinada em dar vida ao seu Jardim Secreto pode picar a bolha do terror de Collin e mostrar-lhe a verdade.
A paixão de Mary pelo Jardim atrai Collin para fora do seu quarto, para o mundo das flores em botão e dos pássaros - um mundo também habitado pelo sardento e irresistível Dickon, a quintessência da saúde. Deixe que este romance o tire da cama para encontrar o seu jardim secreto, quem sabe o seu Dickon, e um regresso vigoroso a uma excelente saúde.
 
Das autoras Ella Berthoud e Susan Elderkin
«Remédios Literários»
 
 
 
A «Estante de Serviço» está de volta.
Nada melhor do que arejar ideias, pensar por si mesmo e criar um jardim só seu, quais ervas daninhas.
Acredite. Seja feliz.
 

4 comentários:

Kelly Oliveira disse...

Olá! Gostei muito da reflexão. Não tinha pensando nesse romance por esse aspecto.

https://cafeebonslivros.blogspot.com.br/

Denise disse...

Olá Kelly!
A reflexão não é minha.
Estes tópicos da "Estante de Serviço" são dedicados ao livro «Remédios Literários». Um livro que indica alguns livros centrados em doenças específicas. Um conceito muito interessante.

Boas leituras!

Anónimo disse...

Se são de outro livro, devia dizer e não passarem por seus.
Ao menos umas aspas para clarificar.

Denise disse...

Já inserido novamente o nome das autoras, Anónimo.
Bem haja